Utilidades

Estou criando estas utilidades para que vocês clientes e amigos não sejam  enganados por produtos nacionais e importados principalmente os chineses. É uma vergonha o que eles escrevem nos produtos, nas embalagens e nos manuais ,  não tem mais seriedade no mundo.

Conforme meu tempo disponível vou postar mais informações importantes no ramo do Áudio e Acústica em Geral.

Tabela de bitolas de cabos: Indicando as perdas.

 

Exemplos das Siglas: Valores

Watts RMS = Real

Watts IHF = X 2

Watts PMPO = X 4

 

Como achar o valores  em Volts a serem aplicados em relação as Impedâncias , para uso em medições 1W/1M com uso do Ruído Rosa.

16 Ohms aplicar raiz quadrada = 4,0 volts

8 Ohms aplicar raiz quadrada = 2,83 volts

4 Ohms aplicar raiz quadrada = 2,0 volts

2 Ohms aplicar raiz quadrada = 1,41 volts

1 Ohms aplicar raiz quadrada = 1,0  volts

 

Para você calcular o SPL máximo de PEAK usando  esta régua JHD de decibéis , você poderá acreditar no manual do produto ou fazer  uma medição honesta para chegar no calculo preciso do SPL real.

Vai ai um exemplo como calcular o dB SPL máximo PEAK.

Como exemplo no manual de um alto falante, driver ou tweeter,  esta escrito que ele tem 100 W.rms e com um SPL de 90dB, você veja na régua na parte de baixo valor em Watts 100 e na parte superior da régua esta marcado 20 , então você ira somar ao SPL do manual (caso ele seja correto)  seu produto ira ter 110 dB SPL de PEAK.

MAXIMO dB SPL

 

 WATTS – RMS

 

TABELA LEI DE OHMS

W = WATTS

E = VOLTS

I – AMPERES

R = OHMS

 

Como utilizar a “Lei de Ohms” para calcular a potencia real que seu alto falante , driver ou tweeter.

Utilizando Ruído Rosa e um Multímetro de Precisão.

Divida Volts aplicado pela Impedância vai dar resultado em Amperes , multiplique Amperes por Volts aplicado ira dar Watts.RMS.

OBs: Caso você só tenho os valores W e R , você devera usar esta formula para achar , I e E , assim você ira conseguir efetuar os testes.

Exemplo 1: Alto falante de 100 W.rms em 8 Ohms.

Aplica-se  28,28  Volts dividido por 8 Ohms vai dar 3,54 Amperes

Pega 28,28 Volts multiplicado por 3,54  Amperes vai dar os  100 Watts

Este exemplo devera suportar pelo menos 60 minutos contínuos com Ruído Rosa, somente desta forma você poderá confirmar  que seu produto tem realmente 100 Watts.

 

Exemplo 2: Alto falante de 100 W.rms em 4 Ohms.

Aplica-se 20,0  Volts dividido por 4 Ohms vai dar 5,0 Amperes

Pega 20,0 Volts multiplicado por 5,0  Amperes vai dar  100 Watts

Este exemplo devera suportar pelo menos 60 minutos contínuos com Ruído Rosa , somente desta forma você poderá confirmar  que seu produto tem realmente 100 Watts.

OBs 1: Para achar os valores de volts (E) e amperes (I) use a tabela de Lei de Ohms.

OBs 2: Sempre começar os testes com a metade de potencia que esta escrita no manual, para você não queimar o produto, para fazer um teste com a potencia real espere por 30 minutos até que a temperatura se normalize, pois ira aquecer sim.

Vocês irão ver a realidade dos produtos que compramos, pagamos por 300 W.rms ele não dá nem 100 W.rms , já efetuei muitos testes e poucas foram as marcas que foram realmente honestas nas descrições dos manuais e dos produtos em si, citei 300 W.rms como exemplo.

“Referente a testes na JHD foram queimados mais de 100 alto falantes, driver e tweeter , para que eu chegasse á uma conclusão que honestidade já acabou faz muitos anos, infelizmente esta é a realidade atual”

 

Como medir o comprimento/altura de uma onda acústica:

Á temperatura de 20 graus use esta formula:

Usar sempre a frequência de corte superior do gabinete acústico.

343 m/s divide pela frequência escolhida  divide por 2 é igual á:

Exemplo: 343 m/s dividido por 100Hz = 3,43 dividido por 2 = 1,715 metros de altura

Tabela da velocidade do som: (ar livre)

A velocidade do som no ar, ao nível do mar, em condições normais de pressão e com temperatura de 20 ºC é de 343 m/s, que corresponde a 1234,8 Km/h.

Já a velocidade do som na água, a uma temperatura de 20 ºC, é de 1450 m/s, o que corresponde a cerca de quatro vezes mais que no ar.

FORMAS PARA PROTEÇÃO PARA CAIXAS ACÚSTICAS:

 Á medida de 0,775 é equivalente é (zero) dB

Calcular disjuntor, fusível ou lâmpada para proteção de uma caixa acústica, usar esta formula:

Watts dividido pela impedância  = aplicar raiz quadrada no valor.

Exemplo:

500 watts dividido por 8 Ohms = 62,5 aplica-se raiz quadrada = 7,9 amperes.

500 watts dividido por 4 Ohms = 125 aplica-se raiz quadrada = 11,1 amperes.

500 watts dividido por 2 Ohms = 250 aplica-se raiz quadrada = 15,8 amperes.

 

Tabela de referencia para equalização durante mixagem: 

Contra Baixo Elétrico:

Fundamentais entre 60Hz e 80Hz; bom para atenuar em 300Hz; ataque e pegada aumentando entre 700Hz e 1KHz , ganho de 2KHz á 5KHz aumenta a definição. Para eliminar ruídos de palhetas e execução , atenue em 4KHz e 5KHz.

Bumbo acústico:

Faixa de ressonância entre 50Hz  e 100Hz ; bom cortar entre 200Hz e 800Hz (achar ponto ótimo) ; para aumentar o Kick reforce entre 2kHz e 4KHz.

Caixa acústica:

Corpo e peso é entre 200Hz á 300Hz; cantada em 400Hz e 500Hz ; brilho de 3KHz á 5KHz.

Hi-Hat (chimbal):

Pouca coisa útil abaixo de 2KHz

Pratos:

Cortar abaixo de 800Hz á 1,6KHz

Tonm-Tons:

Peso entre 150Hz á 300Hz; bom para cortar entre 400Hz e 800Hz ; (ou até 1,6KHz dependendo da afinação); baquetada entre 2KHz á 4KHz.

Surdo:

Praticamente é o mesmo que os tons. Tem mais brilho nas medias-altas e a ressonância é em um ponto á mais nos graves.

Guitarra:

Peso de 180Hz á 500Hz; medias desejáveis entre 800Hz  e 1,6KHz ; cortante entre 2,0KHz e 3,5KHz; ajuda nos solos. Cuidado para não mascarar a voz.

Violão:

Ressonância indesejável no por volta dos 180Hz; excesso retirável entre 150Hz e 300Hz; clareza entre 2KHz e 4KHz. Se faz parte de uma base descartar as medias-altas.

Piano Acústico:

Espectro muito vasto. Geralmente é benéfico esvaziar as medias-altas de forma á abrir caminho para outros instrumentos. Destaca-se entre 1,5KHz á 2,5KHz.

Piano Elétrico:

Muito mais medias-baixas que o acústico. Retirar fortemente se estiver mascarando outros instrumentos.

Trompete:

Corpo de 120Hz á 300Hz; som característico entre 1KHz  e 3KHz; brilho interessante entre 2KHz e 4KHz.

Trombone:

Corpo de 120Hz á 300Hz; som característico de 450Hz á 600Hz; não desprezar as medias-altas.

Madeiras:

Sons anasalados de 600Hz á 1,2 KHz; nas flautas , sopros acima de 6KHz; os de palhetas tem destaque de 2KHz á 3KHz; clarinetes atingem graves importantes entre 150Hz e 400Hz; nos saxofones as medias são importantes mas podem deixar o som feio, cortem bem as medias-altas.

Cordas:

Arcos aparecem de 2KHz á 4KHz; sons nasais de 600Hz á 1,2 KHz. Cellos ressonam entre 150Hz e 300Hz; violas soam naturalmente um pouco mais veladas que os violinos , realce nas medias-altas entre 2,5 e 5KHz. Cuidado para não mascarar os violinos.

Voz:

Profundidade em 120Hz á 250Hz; normalmente atenuável entre 400Hz e 700Hz; realça a nitidez entre 3KHz e 5KHz, sibilância entre 7,5KHz e 10KHz ;puffs abaixo de 80H. Em back vocals, cortar graves é útil para corta-las em um plano da voz principal (lead vocal).

 

Como Usar Compressão:

Compressores são ótimos para resolver os problemas quando você faz mixagem de música. Mas se eles são usados de maneira errada, compressão pode significativamente colorir (e até mesmo bagunçar) o seu som.

Então você precisa saber o que você está fazendo para fazer a compressão resolver seus problemas (e realmente resolver seu problema).

Eles reduzem o gain do seu sinal (“GR” significa Gain Reduction no seu compressor ). Mas eles também reduzem o alcance dinâmico do sinal.

O alcance dinâmico é a diferença entre as partes mais barulhentas e as partes mais silenciosas de um sinal.

Quando alguém diz que um sinal é muito dinâmico, significa que ele varia muito entre as partes silenciosas e as barulhentas – vocais são um bom exemplo de som com um amplo alcance dinâmico.

Bom, os compressores diminuem o volume de picos altos – eles equalizam as notas que se sobressaem no mix. Isso é bom porque permite que você obtenha o ganho de todo o sinal sem clipagem.

Compressores diminuem o volume de picos altos – eles equalizam as notas que se sobressaem no mix. Isso é bom porque permite que você obtenha o ganho de todo o sinal sem clipagem.

 

Então o uso de compressores corretamente lhe dá um som mais polido e mais penetrante sem entrar no vermelho.

COMO UTILIZAR AS CONFIGURAÇÕES DO COMPRESSOR

Para tirar o máximo proveito dos seus compressores, você precisa saber como usar as configurações corretas.

Tenha sempre uma clara intenção em mente com suas configurações. E lembre-se sempre de usar seus ouvidos também!

As configurações principais do compressor são: threshold, ratio, attack e release.

Threshold

O threshold é o nível (em dB, decibéis) em que o seu compressor começa a funcionar. Quando o seu sinal atinge o threshold é quando o compressor começa a funcionar.

Arraste o threshold até ver o compressor funcionar. Você sabe que está funcionando quando há atividade em seu medidor de GR.

Ratios mais altos dão batidas e pancadas, mas podem distorcer ou adicionar um efeito de bombeamento. Mantenha as proporções de baixo a médio alcance quando você está procurando um efeito mais natural.

Ratios mais baixos (como 2:1 ou 4:1) significa que você está aplicando baixas ou médias quantidades de compressão recomendo 3:1.

Entre 8:1 e 20:1 você está aplicando uma compressão mais pesada. Quando está perto de  1 (infinito para um), seu compressor é basicamente um limitador  o que significa que as partes do seu sinal que vão além do threshold não irão mais longe (em termos de amplitude).

Attack

O attack é a rapidez com que o compressor começa a funcionar. Ele controla a quantidade de impacto inicial e os transientes do som.

Attack lento é entre 25 e 100 milissegundos (ms). Isso permite um grande impacto inicial, de modo que lhe dá um som mais forte. Mas se seu baterista tocou de forma desigual, isso será acentuado.

Um attack médio é entre 8 e 25 ms. É um bom meio termo.

Um attack rápido (8 ms ou menos) torna seu som mais apertado e mais uniforme. Dá suavidade à parte frontal do som. Mas também cria o risco de remover o impacto inicial (os transientes) tornando-o mais abafado e sem vida. Então ajuste o attack para se adequar ao seu som.

Release

O release é a rapidez com que o compressor para – em outras palavras, o tempo que leva para que a compressão pare de funcionar.

Um release rápido (100 ms ou menos) significa que o compressor para de comprimir rapidamente após o início. É um som mais agressivo e gracioso. Utilizar ele demais às vezes pode produzir artefatos de “bombeamento”.

release médio é entre 100 e 400 ms.

release lento (maior que 400 ms) oferece mais dinâmica e suavidade. Mas exagerar pode tirar a vida e o impacto do próximo som. Também pode bagunçar o groove e a sensação de sua faixa.

Tenha em mente que todos os compressores são diferentes, não existe uma fórmula única para isso. Então, ouça e ajuste para adequar aos seus gostos!

Dica: olhe o medidor GR (Gain Reduction). Defina o release para que ele volte a zero (o topo) antes do próximo hit. Caso contrário, você provavelmente irá comprimir demais.

 

Como usar o Limiter

Quando bem ajustado, pode ser uma das ferramentas mais úteis para a segurança dos componentes do seu sistema, contudo, não pense que ele será o “santo protetor do sistema”, já que até ele também tem limitações ao quanto suporta.

Precisamos entender que se a fonte sonora for modificada ou existir alguma modificação no sinal antes da monitoração do processador, o resultado poderá deixar de ser satisfatório.

A ideia de Limiter é justamente a qual ela se refere, ou seja limitar, segurar, restringir e vários outros sinônimos no sentido de travar o volume a uma proporção.

A taxa de proporção é muito mais bruscas que um compressor, ou seja, a partir do linear, o sinal sempre será reduzido efetivamente para este nível.

O Limiter é mais brusco e segura efetivamente no ponto definido.

É muito comum a utilização deste processamento na mixagens , mantendo todo sinal mixado abaixo do ponto limite antes da distorção.

Muitas vezes esta aplicação de forma desastrosa pode causar a sensação de achatamento do sinal.

Comportamento do limiter

Parâmetros do Limiter

Threshold

Para aplicar é simples, você verifica o nível de sinal que esta entrando na ferramenta e define o valor para qual deseja que seja executado o Attack na proporção de Ratio.

Peak

É neste parâmetro que definimos se o Limiter efetuará seu processo baseado na analise do sinal em método PEAK.

Limiter baseado em PEAK faz a medição dos valores imediatos, já baseado em  geram a média de sinais antes do comparativo com a definição para o Threshold.

Ratio

É neste parâmetro que definimos o quanto desejamos que o Limiter segure o sinal de forma que a razão seja baseada em proporção.

Significa que qualquer  sinal que entre, passará somente uma 1 medida como se o sinal fosse dividido  e uma parte deste somente passará.

Gráfico demonstrando a Razão de Proporção do sinal durante a redução do sinal.

Em proporções menores, exemplo baixo de 10:1, já pode considerar o Limiter estar trabalhando como um compressor.

Uma razão 1:1 indica que nada será efetuado no sinal. (Recomendo 2:1 á 3:1)

Knee

É neste parâmetro que definimos a velocidade da taxa de compressão do sinal à medida que este chega próximo ao ponto do Threshold, quanto mais distante de zero (Soft), mais suave será a transição, pois a compressão será iniciada antes de superar o ponto do Threshold.

Quanto mais próximo de zero (Hard), mais brusca poderá ser a transição.

Brusco (hard) é próximo de zero e suave (soft) é distante de zero.

Attack

É neste parâmetro que definimos o quanto de tempo o Limiter irá demorar em reduzir o sinal após ultrapassar o valor definido no Threshold.

Uma definição rápida, ou menor valor, faz com que o sinal seja reduzido imediatamente, este resultado pode ser desconfortável dependendo da aplicação.

Hold

É neste parâmetro que definimos o quanto de tempo o Limiter permanecerá aberto quando o sinal ficar reduzido abaixo do valor definido no Threshold.

Em muitos Limiters não é possível a edição deste parâmetro vindo com um valor fixo de fábrica, neste caso, é preciso verificar nas especificações do produto qual o valor predefinido.

Release/Decay

É neste parâmetro que definimos o quanto de tempo o Limiter vai demorar (após a conclusão do tempo do Hold) fechando completamente o sinal baseado no tamanho do Range.

Assim como Hold, um tempo muito curto pode estragar a sonoridade do sinal, um tempo muito longo pode deixar passar algum som indesejado (um sinal menor ser limitado quando o processo de Hold ou Release ainda não tenha sido finalizado).

Gain

É neste parâmetro que definimos o quanto de ganho queremos compensar no sinal devido à redução aplicada pelo Limiter, corrigindo a diferença entre o volume do sinal de entrada e saída do processador.

Filter

É neste parâmetro que definimos em qual faixa de frequência do sinal o Limiter estará monitorando.

Ainda que seja uma faixa de frequência reduzida de monitoração, o processamento do dinâmico é efetuado em toda faixa de frequência do sinal.

Cue/Monitor

É habilitando este parâmetro que podemos ouvir somente a faixa de filtro aplicada para uma aplicação mais detalhada ao regular o filtro de frequências.

SideChain/Source

É neste parâmetro que definimos de onde partirá o recurso do sinal que será monitorado, podendo receber o sinal antes ou depois do equalizador paramétrico.

Valeu!

  

# Começando um projeto de uma caixa acústica: Passo á Passo.

Vejam como é bem simples….

Para você obter os parâmetros T&S (THIELE-SMALL PARAMETERS)

De alto falantes, drives e tweeter:

Em primeiro lugar você devera, efetuar um amaciamento do seu alto falante por 15 minutos colocando uma varredura de 100Hz á 20KHz 1W/1M,  ter um software de boa qualidade para obter os parâmetros do produto a ser analisado , como ClioWin, Dayton faço isso porque 90% dos manuais dos produtos são mentirosos.

Para obter os parâmetros será necessário o uso de massa adicionada , em relação aos alto falantes, driver e tweeter não será preciso.

Primeiramente você precisa saber o FS do produto.

Adicionar massa (peso) até baixar 20 á 25% do FS sem massa.

Multiplique o FS sem massa por 0,80 ou 0,75, para obter a faixa do FS que precisa.

Como exemplo:

FS=45 menos 20% = FS 36Hz  abaixo sem massa adicione a massa até conseguir que o FS com massa fique dentro dos valores de 33,7Hz á 36Hz

Claro que este exemplo é com um falante que possui um FS de 45.

Este calculo é a ultima forma introduzida pela AES para obter os parâmetros T&S utilizando massa adicionada.

O software ira lhe informar estes parâmetros: Como Exemplo;

Fs = 45

Re = 6,030

Qms = 8,900

Qes = 0,540

Qts = 0,510

Vas = 87,7

Ref = 1,48

Sd = 0,051

Vd = 255

Xmax = 5

Bl = 12,73

Um fabricante de caixas acústicas tem que saber estes parâmetros para que seu gabinete acústico seja correto, fique dentro das normas da AES, conforme os maiores e melhores fabricantes de sistemas de som do mundo seguem esta logica, é complicado (fazer um caixote é fácil) e depois falar que é uma caixa acústica esta sintonizada…Piada.

Um dos programas mais confiáveis para o desenvolvimento do gabinete acústico é BassBox-Pro, WinISD , Term-Lab; sendo que você já tenha todos os paramentos na mão.

 

Quais madeiras mais aconselháveis para construção dos gabinetes acústicos.

1º MDF ULTRA – NAVAL (COR VERDE)

Vantagens:

São precisamente bitolados

Tem uma densidade de 720 Kg por metros cúbico.

Nível de vibrações quase zero

Porem é mais pesado

 

2º Compensado naval de multi camadas (cola preta)

Desvantagens:

Não tem bitola precisa

Tem uma densidade de 620 Kg por metro cúbico.

Produz vibrações internas indesejáveis

Dificuldade no acabamento devido a aplicação de muita massa.

Porem é mais leve em relação ao 1º

OBs: Devido a demanda os compensados navais de antigamente eram com madeiras nobres, bem acabados , bitolados hoje em dia não se acha mais estes produtos no mercado.

Coloquei o MDF – Ultra Naval em 1º pois ele é um produto atual, e também com o acabamento na parte de pintura a durabilidade aumentou muito em relação ao passado.

Não recomendo MDF – Cru.

# Breve mais informações neste tema.